Postagens Recentes:

Morre Umberto Eco – Singular na História

JOÃO CEZAR DE CASTRO ROCHA
ESPECIAL PARA A FOLHA

19/02/2016 23h51

A trajetória de Umberto Eco é uma das mais singulares da cena intelectual. Em alguma medida, seu percurso biográfico colocou em cena o hiato, para muitos um abismo, entre o universo acadêmico e o mundo do entretenimento da indústria cultural, que se tornou onipresente após a Segunda Guerra e que hoje assume dimensão planetária.

Aliás, em meados do ano passado, uma declaração de Eco teve grande repercussão, pois ele considerava que as redes sociais haviam criado um tipo nefasto, embora caricato: o “idiota de aldeia” convertido em “portador da verdade”. A intolerância e a agressividade, característica do “ethos” predominante na internet, teriam como base essa alquimia desorientada, o milagre da multiplicação dos pequenos profetas de plantão.

Formado em filosofia em 1954, a carreira acadêmica de Umberto Eco é das mais ricas e fecundas do século 20. Professor catedrática de semiótica na Universidade de Bolonha, escreveu alguns dos livros mais influentes na sua área de estudos, produzindo com vigor e celeridade pouco comuns.

Intuição aprofundada em livros seminais, “Lector in Fabula” (1979) e “Os Limites da Interpretação” (1990). Neles, a noção-chave sugere que todo texto é, por assim dizer, uma partitura à espera de seu intérprete: o leitor. Todo ato de leitura supõe a criação de verdadeiras comunidades virtuais de produção e transmissão de sentido. No limite, a interpretação “individual” de uma obra determinada também é o resultado de camadas e camadas de leituras prévias.

Um exemplo basta para mostrar a fecundidade da ideia: depois da invenção goetheana de Hamlet como alguém incapaz de tomar uma decisão, como recordar que o “jovem” Hamlet tem exatos 30 anos, como se diz com todas as letras na famosa cena com o coveiro Yorick. A obra de Eco esclarece o que está em jogo nessa “superinterpretação”, tema tratado em livro de 1992.

Em 1964, Eco publicou “Apocalípticos e Integrados”, refletindo acerca de qual atitude tomar numa sociedade que se via literalmente invadida pela cultura de massa. Não se tratava de recusar esse bravo mundo novo, tampouco de se entregar sem reservas. O desafio centrava-se em encontrar uma linha tênue entre os furiosos apocalípticos e os velozes integrados.

Em 1980, com “O Nome da Rosa”, Eco fez o improvável, reunindo trama policial, filosofia e teologia medievais, teoria semiótica, e uma miríade de alusões literárias, compondo um arco onívoro, que se estende de Aristóteles a Jorge Luis Borges e James Joyce. Esse complexo romance tornou-se um grande êxito internacional, chegando às telas do cinema com Sean Connery.

Uma saborosa ironia que o autor de “O Super-Homem de Massas” (1978) certamente soube apreciar.

JOÃO CEZAR DE CASTRO ROCHA é professor de literatura comparada da UERJ

  • Pensamento de John Lennon

    Fizeram a gente acreditar que amor mesmo, amor pra valer, só acontece uma vez, geralmente antes dos 30 anos. Não contaram pra [...]
  • UMA ATIVIDADE FRUTÍFERA

    As atividades necessárias para detecção de falhas normalmente esbarram nas peculiaridades de defesa psicológica, muitas [...]
  • UM CALDEIRÃO EMOCIONAL

     Complicam os assuntos, tornam difícil o convívio interpessoal, negligenciam a própria saúde, em certas ocasiões munidos de [...]
  • UMA ANÁLISE MINUCIOSA

    O mundo das escolhas é vasto, com muitos caminhos para percorrer e sob tempestades diferentes, acertar o “guarda-chuva” [...]
  • UMA ÁREA DESCOORDENADA

    Ser recebida com respeito e atendimento digno, pode ser o objetivo de quem chega na “quarta idade”, independentemente de [...]
  • UM ESFORÇO DIRIGIDO

    O cérebro está em constante mudança e a ‘ebulição’ das infinitas conexões neuronais produzem o processamento das [...]
  • UM ENCONTRO CASUAL

    Mesmo em festas nas ‘montanhas geladas’, amigos em volta de uma lareira, taças de bebidas alcoólicas abrindo as mentes – [...]
  • UM OLHAR APURADO

    Sem considerar uma indicação de falhas – as pessoas abraçam, ouvem e incentivam os outros, ainda que deixem de corresponder [...]
  • No Picture

    UMA RESPONSABILIDADE COMUM

    Sensação de ter destacado parte do seu corpo, pensamentos abstratos e absurdos começam a circundar sua existência. Essa é [...]
  • UMA CERTA SUAVIDADE

    Fixar objetivos para obter sucesso eliciam desejos, tais como morar num excelente lugar da cidade, ter um carro confortável, [...]
  • UMA PROFUNDA APRECIAÇÃO

    Os seres humanos evoluíram para dar sentido ao ‘mundo’, observam transformações e as ressignificam com o passar do tempo. [...]
  • UM ISOLAMENTO SURREAL

    Quando comparados as outras espécies, os seres sociais possuem vantagens nos processos evolutivos por compartilharem recursos e [...]
  • UMA ESPÉCIE DE LASTRO

    Seres conscientes da subjetividade usam todos os sentidos e empoderam-se de percepções para responder aos estímulos. Nesta [...]
  • UM BOM EXEMPLO

    As pessoas comuns, tanto quanto os pesquisadores, vasculham de certa forma, os limites entre a normalidade e anormalidade. Ficam [...]
  • UMA BOA EXPECTATIVA

    Um vasto silêncio acompanha algumas questões fundamentais da existência, espera-se de as crianças serem agradáveis e [...]
  • UMA AÇÃO SISTÊMICA

    Riqueza das ideias e desafios impulsionam a existência da espécie humana, tem íntima ligação com a liberdade adquirida e [...]
  • UMA DOSE REGULAR

    A expressão ‘meio ambiente’, em tese, sugere a representação fixa da natureza, porém, tudo que se conhece no universo [...]
  • UM NINHO SEGURO

    O envelhecimento é um processo inato, no decorrer do tempo, mudanças hormonais, cognitivas e físicas ocorrem em todos os [...]
  • Quero…

                      Quero, um dia, poder dizer as pessoas que nada foi em vão. Que o [...]
  • Resistência…

                  A resistência da estrutura psíquica, em parte, está relacionada com a forma [...]
  • UM CICLO VIRTUOSO

    A vida cotidiana reserva diversas emoções negativas. Entre elas a raiva, ciúme, medo, vergonha ou arrependimento – visto [...]
  • Convite para viver

      Quando se fala da vida é como atravessar o oceano Atlântico, de ponta a ponta, num caiaque e nem saber [...]
Sobre marcelopelucio (312 artigos)
Possui habilidades comprovadas para encontrar talentos, montar, treinar e organizar equipes. Melhora o clima organizacional das empresas, escolas e organismos nos quais atua. Encontra o sucesso em diversas áreas da atividade humana e detém várias premiações. Sua vida acadêmica conta com quase três décadas de estudos, possui cinco títulos acadêmicos (graduações, especialização e aperfeiçoamento), centenas de cursos dentro e fora do Brasil e participa de Mestrado em Educação. http://www.marcelopelucio.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: