Anúncios
Postagens Recentes:

Filme “Coringa” de Todd Phillips

Sem fazer qualquer tipo de apologia ao anti-herói. É um filme muito bom, ressalvados os exageros, a trama mostra uma relação do sofrimento real de algumas pessoas… um destaque especial para a atuação de Joaquin Phoenix. Um Oscar é pouco!!!
A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up
No livro de anotações de Arthur Fleck (Coringa) surge escrito: “a pior parte de ter uma doença mental é que as pessoas esperam que você se comporte como se não tivesse”.

Vale a pena ler a Crítica de “Coringa” (Joaquin Phoenix/Todd Phillips) feita por Octávio Caruso. A mensagem clara e corajosa que o diretor entrega é: Você pode aplaudir o filme, mas se você sair da sessão aplaudindo o personagem, repense seriamente a sua própria sanidade mental.

Leia o texto completo abaixo 

Coringa (Joker – 2019)

O comediante falido Arthur Fleck (Joaquin Phoenix) encontra violentos bandidos pelas ruas de Gotham City. Desconsiderado pela sociedade, Fleck começa a ficar louco e se transforma no criminoso conhecido como Coringa.

Todd Phillips está sendo apedrejado pela imprensa de extrema-esquerda após afirmar em entrevista o óbvio, que o politicamente correto destruiu o cinema de comédia, ele, que se destacou com “Se Beber, Não Case”, garante que não tocaria no tema hoje em dia, já que os comediantes estão com medo de ofender outrem, atitude que vai contra o cerne do humor, que, como o grande Chico Anysio dizia, “pode até ser engraçado”. Esta revolta com os rumos tortos da sociedade atual é o coração pulsante de “Coringa”. E ele expõe, acima de tudo, a hipocrisia da esquerda, fazendo com que todos gargalhem com uma piada de anão.

O protagonista é a representação perfeita da vitimização da insuportável geração mimimi, o invejoso incompetente que odeia os bem-sucedidos e justifica qualquer ação, por mais absurda, como justo revide na luta de classes (as câmeras destacam nas manchetes de jornais: “Morte aos ricos”). Só que vemos este mundo pela ótica distorcida de Arthur, proposta similar à de obras como “Laranja Mecânica” e “Henry – Retrato de Um Assassino”, você entra na mente do psicopata, todo vilão se considera o herói de sua própria história, logo, você começa a se questionar sobre o que pode ser fruto de sua imaginação, tudo parece fazer sentido na lógica do filme, os estímulos sensoriais, o desorientador design de som, convidam o espectador à nutrir empatia, recurso necessário, algo que está sendo equivocadamente criticado por muitos como celebração da violência.

A mensagem clara e corajosa que o diretor entrega é: Você pode aplaudir o filme, mas se você sair da sessão aplaudindo o personagem, repense seriamente a sua própria sanidade mental. E, sim, ele sabe que MUITOS terão exatamente esta reação. É, acima de tudo, um alerta para os efeitos psicologicamente danosos em longo prazo desta mentalidade vitimista, que promove o “nós contra eles”, criando monstros encubados, facilmente manipuláveis, que precisam apenas de um empurrão (como o próprio personagem defendia em “O Cavaleiro das Trevas”, de Christopher Nolan) para abraçarem sem remorso o caos.

A opção estética de iniciar e finalizar com créditos elegantes e sóbrios, nos moldes das produções da década de 70, utilizando até mesmo a antiga logo da Warner, faz com que o público entre rapidamente no clima. Nesta doentia cidade de Gotham, corrompida pela amargura, você crê ser possível nascer um Batman, e, melhor ainda, Phillips oferece uma razão sólida para, neste hipotético futuro, o vigilante mascarado decidir nunca matar os vilões, principalmente alguém influente como o Coringa.

Para os fãs mais dedicados dos quadrinhos, há uma referência sutil à uma cena de “O Cavaleiro das Trevas”, de Frank Miller, mas as maiores inspirações são de dentro de sua própria indústria, os clássicos “Taxi Driver” e “O Rei da Comédia”, pérolas de Martin Scorsese. Aliás, as rimas visuais espertas são puro cinema, como quando Arthur é mostrado várias vezes subindo fragilizado as escadas da rua, até que, tendo plenamente aceitado seu papel na trama, desce aqueles mesmos degraus com total segurança, a descida ao inferno é seu apogeu. O desconforto do espectador aumenta ao passo em que o do protagonista diminui, o uso inteligente do gore em um momento específico ressalta brilhantemente este turning point, quando Arthur finalmente se torna Coringa.

Joaquin Phoenix encara o desafio e realiza algo extraordinário, intensamente perturbador exatamente porque não há elemento facilitador, não há cicatrizes externas (apenas internas), não há queda em tonel de ácido, não há um evento único transformador que sirva de gatilho, a sua origem é complexa, as suas motivações são desconstruídas camada a camada, permitindo ao ator um terreno gigantesco de possibilidades que ele devora como se fosse o último papel de sua vida.

“Coringa” não é para crianças, não considero apropriado sequer para adolescentes, o roteiro é para pessoas emocionalmente maduras, que serão capazes de compreender a dura crítica que é trabalhada nas entrelinhas.

reproduzido de: https://www.devotudoaocinema.com.br/2019/10/coringa-de-todd-phillips.html?fbclid=IwAR2eHMCqpovbuD8_nauWyEtJ9Zjpy0FBe2pgMC0BCeKODw_Uswhw_NCM4Pg

Anúncios
  • No Picture

    Pensamento Rudimentar?

    Somente o Homo Sapiens pensa ou raciocina? Ah! claro, os outros seres vivos agem apenas por instinto e por se tratar de algo [...]
  • VIII Simpósio ANDEA/Mackenzie

    Palestra criada para abordar a importância do autoconhecimento baseada em diversos segmentos das ciências. Tópicos impactam os públicos: corporativos, acadêmicos, profissionais liberais, professores, psicólogos entre muitos outros. [...]
  • Pensamento de John Lennon

    Fizeram a gente acreditar que amor mesmo, amor pra valer, só acontece uma vez, geralmente antes dos 30 anos. Não contaram pra [...]
  • UMA ATIVIDADE FRUTÍFERA

    As atividades necessárias para detecção de falhas normalmente esbarram nas peculiaridades de defesa psicológica, muitas [...]
  • UM CALDEIRÃO EMOCIONAL

     Complicam os assuntos, tornam difícil o convívio interpessoal, negligenciam a própria saúde, em certas ocasiões munidos de [...]
  • UMA ANÁLISE MINUCIOSA

    O mundo das escolhas é vasto, com muitos caminhos para percorrer e sob tempestades diferentes, acertar o “guarda-chuva” [...]
  • UMA ÁREA DESCOORDENADA

    Ser recebida com respeito e atendimento digno, pode ser o objetivo de quem chega na “quarta idade”, independentemente de [...]
  • UM ESFORÇO DIRIGIDO

    O cérebro está em constante mudança e a ‘ebulição’ das infinitas conexões neuronais produzem o processamento das [...]
  • UM ENCONTRO CASUAL

    Mesmo em festas nas ‘montanhas geladas’, amigos em volta de uma lareira, taças de bebidas alcoólicas abrindo as mentes – [...]
  • UM OLHAR APURADO

    Sem considerar uma indicação de falhas – as pessoas abraçam, ouvem e incentivam os outros, ainda que deixem de corresponder [...]
  • No Picture

    UMA RESPONSABILIDADE COMUM

    Sensação de ter destacado parte do seu corpo, pensamentos abstratos e absurdos começam a circundar sua existência. Essa é [...]
  • UMA CERTA SUAVIDADE

    Fixar objetivos para obter sucesso eliciam desejos, tais como morar num excelente lugar da cidade, ter um carro confortável, [...]
  • UMA PROFUNDA APRECIAÇÃO

    Os seres humanos evoluíram para dar sentido ao ‘mundo’, observam transformações e as ressignificam com o passar do tempo. [...]
  • UM ISOLAMENTO SURREAL

    Quando comparados as outras espécies, os seres sociais possuem vantagens nos processos evolutivos por compartilharem recursos e [...]
  • UMA ESPÉCIE DE LASTRO

    Seres conscientes da subjetividade usam todos os sentidos e empoderam-se de percepções para responder aos estímulos. Nesta [...]
  • UM BOM EXEMPLO

    As pessoas comuns, tanto quanto os pesquisadores, vasculham de certa forma, os limites entre a normalidade e anormalidade. Ficam [...]
  • UMA BOA EXPECTATIVA

    Um vasto silêncio acompanha algumas questões fundamentais da existência, espera-se de as crianças serem agradáveis e [...]
  • UMA AÇÃO SISTÊMICA

    Riqueza das ideias e desafios impulsionam a existência da espécie humana, tem íntima ligação com a liberdade adquirida e [...]
  • UMA DOSE REGULAR

    A expressão ‘meio ambiente’, em tese, sugere a representação fixa da natureza, porém, tudo que se conhece no universo [...]
  • UM NINHO SEGURO

    O envelhecimento é um processo inato, no decorrer do tempo, mudanças hormonais, cognitivas e físicas ocorrem em todos os [...]
  • Quero…

                      Quero, um dia, poder dizer as pessoas que nada foi em vão. Que o [...]
  • Resistência…

                  A resistência da estrutura psíquica, em parte, está relacionada com a forma [...]
Sobre marcelopelucio (315 artigos)
Possui habilidades comprovadas para encontrar talentos, montar, treinar e organizar equipes. Melhora o clima organizacional das empresas, escolas e organismos nos quais atua. Encontra o sucesso em diversas áreas da atividade humana e detém várias premiações. Sua vida acadêmica conta com quase três décadas de estudos, possui cinco títulos acadêmicos (graduações, especialização e aperfeiçoamento), centenas de cursos dentro e fora do Brasil e participa de Mestrado em Educação. http://www.marcelopelucio.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: