Postagens Recentes:

O SIGNIFICADO DOS SONHOS

A psicologia desde o início, ainda no século XIX, utiliza diversos experimentos científicos para entender os sonhos. Freud e Jung através da abordagem psicanalítica procuraram interpretar os sonhos e muitos pesquisadores continuam esse esforço. Essa prática é mais antiga do que a ciência.

O que existe de realidade na interpretação dos sonhos?

Leia Também: Como cuidar do seu cérebro e desenvolver a inteligência?

                           Da Infância à idade adulta: Caminhos para o equilíbrio emocional.

Ainda estamos longe de dizer com exatidão o que são os sonhos, porém, os recursos tecnológicos existentes hoje mostram excelentes evidências: os sonhos não são aleatórios. Tratar a interpretação deles como superstição pode ser um erro, porque, parece existir uma intrincada rede no funcionamento do cérebro que está ligada aos sonhos.

Algumas informações disponíveis nos mostram que os artistas são mais propensos do que as pessoas comuns a ter pesadelos, que as crianças têm mais animais em seus sonhos em comparação aos adultos, e que as pessoas mais jovens são mais propensas do que as pessoas mais velhas a ter sonhos “lúcidos”, ou seja, aqueles em que a autoconsciência é vivida no interior do sonho propriamente dito. Os conteúdos dos sonhos se caracterizam muito mais por cenários realistas dos que fantasiosos com personagens bem familiares. As emoções negativas, em geral, estão muito mais ligadas aos pensamentos racionais e as imagens são muito mais frequentes do que as outras percepções sensoriais.

Existem pesquisadores ao redor do mundo trabalhando com softwares de computadores avançadíssimos que fazem analise dos sonhos, mesmo sem ler suas narrativas e através da compilação desses dados estão sendo criados modelos que categorizam os sonhos, seus personagens e percepções. Através da comparação e das frequências ocorridas estão criando modelos de conexão dos significados, no qual, as pesquisas buscam aspectos genuinamente objetivos através desses modelos digitais. Essas práticas procuram validar as análises dos sonhos, saindo do campo místico e comprovando cientificamente que são possíveis de determinar alguns aspectos cognitivos, sexuais, comportamentais dos indivíduos, entre outros. Quando uma pessoa busca apoio no atendimento psicológico, os seus próprios sonhos dão pistas para melhorar a qualidade de vida. Essa é a conclusão atual.

 

Sobre marcelopelucio (306 artigos)
Possui habilidades comprovadas para encontrar talentos, montar, treinar e organizar equipes. Melhora o clima organizacional das empresas, escolas e organismos nos quais atua. Encontra o sucesso em diversas áreas da atividade humana e detém várias premiações. Sua vida acadêmica conta com quase três décadas de estudos, possui cinco títulos acadêmicos (graduações, especialização e aperfeiçoamento), centenas de cursos dentro e fora do Brasil. http://www.marcelopelucio.com.br

1 Trackback / Pingback

  1. Os cérebros mais eficazes são os das pessoas mais distraídas | MARCELO PELUCIO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: