Postagens Recentes:

História da Língua Portuguesa (Crônica)

Chirstius. In nomine domini nostri Jhesu Christi. Hec est notitia facta karta de todolos tempos e que valham por em secula seculorum. Amen

Hec partiçon deas línguas qui illa terra do nostrum Portugal et momentum em que caballos equas boues et vaccas valem quantum mai que um filio et filia de os habitantem de campum et brasilis.

Imagem da Crônica apresentada durante o curso de jornalismo - 2006

Imagem da Crônica apresentada durante o curso de jornalismo – 2006

Ante que daquy parta fazer muy hordenança pera se nam perderem humas raparigas das outras e dea vida sancta.

Que se Dueu dar marcas domde se façam os caminhos queo grande Rei Senhor com muita honra mande tirar todolas almadias deos “guris” dea terra.

EM TODA história os portugueses sempre praticaram o que é o dever do homem em sociedade, he ser útil aos membros em sociedade, he ser útil aos membros dela; e segundo suas forças Phisicas, Moraes, administrar em beneficio da mesma, e distinctamente seja dela o bem geral d´uma sociedade que o labyrintho da apathia nunca recubra as atrozes violências.

Devem-se à Nação Portuguesa toda organização e planejamento que o Brasil, os nativos e as órfãs lusitanas receberam aqui.

Pasmado eu lanço a Pátria ilustre dos Gamas, Castros, Borbouns, Albuquerques e todos os outros, porque, não fomos roubados e não nos deram em troco do descobrimento bela pobreza, vimos sim, em 1500 d.c. raiar hum grande dia e mui esperança para os apinajés, aranã, caingangs, tupari, carajás, bororós e todos os povos indígenas do Amazonas ao Prata. Porque, puderam conhecer a pólvora.

A solução para acabarmos com o sofrimento das crianças em todo mundo é seguirmos os exemplos do povo português desde sempre, em breve jornada de oportunidades e legados que ficaram em nossa justa sociedade brasileira. Vejamos o mundo que os portugueses deixaram para trás, com o descobrimento, e como serão as próximas gerações, depois de nosso legado, partimos.

Talvez você ainda não entenda o que diz esse texto desde a primeira linha.

– Vejamos novamente?

“Chirstius. In nomine domini nostri Jhesu Christi…”

Exatamente em nome de Deus, sagradas e puras atitudes dos “descobridores portugueses e toda a casta nobreza” deram para o Brasil, África e outros lugares do mundo que forma estes os responsáveis pelo desenvolvimento baseado nas leis divinas. Deram-nos até suas órfãs para a procriação.

Quão penoso pode ter sido aos portugueses, embacar e ver partir nas “naves do descobrimento” suas meninas tão queridas, para que pudessem em nome Dele povoar e santificar as novas terras.

Essas atitudes de extrema caridade foram-nos proporcionadas pelos portugueses. Preocupação inequívoca desde momento o final da idade média. Isto Possibilitou uma disseminação da palavra de Deus, sem outro motivo mercantil ou selvagem. Propagaram o verdadeiro respeito aos autóctones e por isto, nessas terras dominadas e povoadas, pelos portugueses não existe fome, miséria ou desigualdade social. Algumas crianças de rua foram registradas a partir do ano de 1554, vagando pelas aldeias, mas tudo foi solucionado a tempo, e hoje elas não precisam disputar com os urubus, em meio ao lixo dos aterros, sanitários, parvas e contaminada comida.

Impossível encontrar, crianças com mãos calejadas e salário irrisório, exploradas sexualmente, nos bordeis, vitimas de tráfico, pedindo esmolas nas ruas ou envolvendo-se em furtos e violência. Sabemos todos que as crianças vivem em nosso país sem precisar abusar do uso de drogas para negar a sua condição de inanição, de frio ou abandono.

Este é o momento! Peço o reconhecimento aos portugueses, porque, trouxeram-nos a compaixão social, preocuparam-se dando todo o ensino disponível no velho mundo e ao mesmo tempo ensinaram os novos povos uma vida digna, longe das guerras. Acima de tudo, o respeito imperou sob o império lusitano.

O que vc ta fazendo ai paradu?

Té qdo vai c egoísta e naum entrega part de td q os portugueses t deram?

Vai nessa e mand 1 e-mail q sirva d doc pro pres de Portugal

O seu Cavado ou eh Cavako?

Putzz, tipo assim: fui…

Ameno, Dom

Dori me, Reo

Ameno dori me

Dori me, Dom

27/11/2006

Marcelo Pelucio

Curso de Jornalismo

Sobre marcelopelucio (305 artigos)
Possui habilidades comprovadas para encontrar talentos, montar, treinar e organizar equipes. Melhora o clima organizacional das empresas, escolas e organismos nos quais atua. Encontra o sucesso em diversas áreas da atividade humana e detém várias premiações. Sua vida acadêmica conta com quase três décadas de estudos, possui cinco títulos acadêmicos (graduações, especialização e aperfeiçoamento), centenas de cursos dentro e fora do Brasil. http://www.marcelopelucio.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: