Postagens Recentes:

Quais são as possíveis consequências na criação dos vínculos afetivos ou a falta deles sobre a aprendizagem (Parte 1 de 2)

Com enfoque piagetiano, mas sem desconsiderar o pensamento interacionista e com elementos da abordagem psicanalista, pode-se verificar de forma unívoca que a afetividade humana é considerada um fator preponderante para o desenvolvimento biopsicossocial (veja o artigo no link abaixo)

http://yesmarilia.com.br/artigo/MarceloPelucio/58/quais-sao-as-possiveis-consequencias-na-criacao-dos-vinculos-afetivos-ou-a-falta-deles-sobre-a-aprendizagem.html

inclusive, discutir sobre a dificuldade de aprendizagem e justificar que: ensinar e aprender transcorre justamente a partir dos vínculos afetivos entre as pessoas. A psicanálise vê a construção dos vínculos com fundamental importância no desenvolvimento humano.Considerando que todo indivíduo ao nascer está predisposto a aprender, as pessoas com as quais convive certamente participam desse processo. Os pais ou cuidadores e professores são vistos como elementos fundamentais que podem oferecer o afeto, criar e fortalecer esses vínculos e ensinar amorosamente para os enfrentamentos da vida.
parte1-2
Alguns indivíduos sucumbem sob as pressões da vida enquanto outros se saem bem. Será possível encontrar uma resposta para essas diferenças? O que faz uma pessoa chegar à vida adulta com desenvolvimento adequado das suas capacidades psicológicas, emocionais, intelectuais, cognitivas e sociais? O incentivo dos pais e professores auxilia no desenvolvimento? As privações de carinho e atenção, quando criança, atrapalham o desenvolvimento?
Na psicanálise encontramos alguns pressupostos que corroboram na busca de respostas para estas indagações, possivelmente na demonstração que a família é importante para a formação do caráter e do desenvolvimento cognitivo da criança.
Segundo o psicanalista inglês Donald Woods Winnicott, os bons laços afetivos com os membros familiares fortalecem o desenvolvimento, criando a possível construção de uma infância saudável e base para toda a vida. No entanto, somente a participação ou existência da família não garante esse desenvolvimento.
O cientista russo Lev Vygotsky escreveu sobre uma gama de transformações necessária para a internalização da aprendizagem e todas elas estão vinculadas às relações sociais, embutidas nas relações familiares com os pais, e nas escolares principalmente com os professores.
Os vínculos afetivos quando são estabelecidos nas relações humanas, possibilitam avanços substanciais nas questões cognitivas. A construção do mundo simbólico da criança é expandida com maior facilidade quando esse processo cresce de forma contínua e saudável. São exatamente os vínculos estabelecidos inicialmente com os pais que atuam no campo do pensamento e na forma como o indivíduo imagina e representa o seu mundo. Nesse sentido, entende-se que, para a criança é importante e fundamental o papel dos vínculos afetivos no núcleo familiar. E no decorrer do desenvolvimento, estes devem ser ampliados nos outros grupos sociais, e também na figura do professor que pode surgir com importância na relação de ensino e aprendizagem.
escolaDesde a educação infantil existe a necessidade de envolvimento afetivo, para que o desenvolvimento cognitivo se desenvolva e estimule a criatividade. É necessário receber recompensas afetivas do professor, através do elogio que se segue ao esforço e dedicação do trabalho realizado, recompensas que oferecem reforço e levam a criança na direção da formação de sua autonomia.
Compreender a influência dos familiares e professores sobre o desenvolvimento das crianças é a forma como a psicopedagogia busca a compreensão do processo de aprendizagem humana, aprimora instrumentos lúdicos, neuropsicológicos, psicométricos, entre outros. Através do olhar atento das dificuldades apresentadas por parte dos alunos, auxilia os pais, profissionais da educação e os próprios educandos na busca do crescimento pessoal. Oferece atenção individual para facilitar a construção do saber, porque, sabe-se que cada indivíduo aprende do seu modo particular. (continua)
.
* Fragmento do artigo científico apresentado por Marcelo Pelucio na conclusão do curso de pós-graduação Latu Sensu no grau de Especialista em Psicopedagogia Clínica pela FUNDEPE/F.PAULISTA/2014)
Sobre marcelopelucio (299 artigos)
Possui habilidades comprovadas para encontrar talentos, montar, treinar e organizar equipes. Melhora o clima organizacional das empresas, escolas e organismos nos quais atua. Encontra o sucesso em diversas áreas da atividade humana e detém várias premiações. Sua vida acadêmica conta com quase três décadas de estudos, possui cinco títulos acadêmicos (graduações, especialização e aperfeiçoamento), centenas de cursos dentro e fora do Brasil. http://www.marcelopelucio.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: